Do que se trata o plano de negócios de uma empresa?

DO QUE SE TRATA O PLANO DE NEGÓCIOS DE UMA EMPRESA?

O plano de negócios é um documento que traduz de forma clara e objetiva as principais estruturas de uma empresa, analisando a mesma de forma interna e externa. Nele estão contempladas as análises de mercado e de oportunidade, pesquisas de público-alvo, entre outros importantes balizadores de negócio. Além disso, no âmbito interno, há uma análise da área de pessoas da empresa, das operações necessárias para entrega do produto ou serviço, etc.

Dependendo do objetivo pretendido, o responsável pelo desenvolvimento do documento dará enfoques diferentes nas partes que o compõem, pois, cada público-alvo terá interesse em uma parte específica do plano. Sua execução auxilia o empreendedor e seu time a entender o caminho que a instituição está seguindo, seus objetivos e perspectiva de crescimento. Além disso, ele proporciona aos envolvidos um conhecimento completo da empresa, dos próximos passos a serem tomados, da necessidade de investimento em finanças e em mão de obra. Um plano de negócios robusto pode abrir portas para aportes de capital, transmitir credibilidade para fornecedores e impulsionar o desenvolvimento da equipe.

Segundo especialistas da área, um plano de negócios pode fazer com que uma empresa rompa as barreiras inicias de entrada no mercado de forma mais fácil e tenha uma probabilidade de perenidade maior, já que durante o desenvolvimento do documento são levantados os principais riscos e definidas as melhores formas de mitiga-los e preveni-los. Um plano de negócios bem executado poderá resgatar a instituição de uma fase de quebra e torná-la competitiva novamente no mercado.

O documento é uma forma direta de apresentação para os diversos tipos de público, pois o mesmo possuí uma abordagem completa de todas as áreas, projeções futuras e objetivo a longo prazo da empresa. Ele é um ótimo recurso a ser usado para a captação de investimentos e alinhamento de comunicação interna.

Componentes do plano de negócios

Hoje, um plano de negócios considerado completo contém, em geral, nove tópicos principais a serem explorados, fora os anexos. Dentro dessa estrutura, o empreendedor pode escolher as áreas aplicáveis à sua realidade e dar mais ênfase nas áreas que seu público-alvo terá interesse em analisar. A estruturação de capítulos do documento pode sofrer variações, porém, os conteúdos indicados para a sua construção permanecem os mesmos. São eles:

1. Sumário Executivo: traz uma síntese de todo o plano de negócio e tem o objetivo de aguçar o interesse e curiosidade do público-alvo, fazendo com que o mesmo tenha interesse em continuar a leitura.

2. A Oportunidade: abrange de forma sucinta uma descrição geral da oportunidade percebida, do mercado foco e do potencial da companhia apresentada.

3. A Empresa e A Estratégia: este capítulo contempla a definição do negócio e da estratégia, análise do ambiente por meio da utilização de ferramentas, tais como: matriz SWOT, visão estratégica, missão empresarial, metas e objetivos, vantagens competitivas e os fatores críticos de sucesso. Ou seja, demonstra ao leitor de que forma a instituição pretende alcançar o sucesso desejado e como a mesma se posicionará no mercado.

4. Produtos & Serviços: tópico que traz uma descrição mais detalha do produto ou serviço ofertado pela companhia, o seu público-alvo, seus diferenciais e qual o estágio atual de desenvolvimento do mesmo.

5. Plano de Marketing: contempla toda a percepção de mercado e posicionamento macro da instituição e do produto, ou seja, a partir dele será possível coletar informações de mercado, o perfil e a descrição detalhada do público-alvo. Tais informações são obtidas por meio de pesquisas, análise da concorrência e definição e estruturação das estratégias de preço, praça, vendas e distribuições, promoções e projeções.

6. Plano de Operações: tem como objetivo trazer dados da estrutura interna da empresa e das atividades operacionais que deverão ser executadas para a realização e entrega do produto ou serviço para o mercado consumidor. Logo, ele deverá conter a descrição de todas as atividades e a relação das mesmas com as áreas da companhia. O plano ainda poderá auxiliar os investidores no entendimento das atividades da mesma, como também promoverá uma visão sistêmica aos seus colaboradores.

7. A Equipe: apoiado no plano operacional, este capítulo visa organizar e estruturar toda a mão de obra necessária para que o plano de operações possa ocorrer com êxito. Tem por objetivo descrever de forma clara as qualificações necessárias nas atividades, o processo para atrair e recrutar talentos para as posições necessárias, assim como mostrar uma definição final do organograma da instituição.

8. Riscos & Mitigações: possui a proposta de analisar todos os possíveis riscos que poderão causar danos graves ou gerar a falência da empresa. Com a análise em mãos, o intuito final é o de traçar as possíveis formas de contê-los ou mitigá-los para que, nos momentos necessários, a companhia possa somente consultar os planos de ação já traçados.

9. Plano Financeiro: é o fechamento de todos os planos anteriores, pois com a visão deles é possível realizar previsões de fluxo de caixa, investimento inicial, projeções de vendas e receitas, análise de break-even, além de definir os principais indicadores financeiros.

Referências:

DORNELAS, J. Plano de negócios: seu guia definitivo. 1ª. Ed. [s.l.]: Elsevier, 2011.

PAVANI, C.; DEUTSCHER, J. A.; LÓPEZ, S. M. Plano de Negócios: planejando o sucesso de seu empreendimento. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Lexikon Informática, 1998.