AFINAL, O QUE É BLOCKCHAIN?

AFINAL, O QUE É BLOCKCHAIN?

A tecnologia Blockchain é uma rede de blocos para o armazenamento digital de informações, que funciona como um livro contábil onde todas as transações são guardadas e validadas pelos usuários. Seu conceito surgiu em 2008, quando o artigo "Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System" foi publicado por Satoshi Nakamoto. A intenção era criar uma moeda digital segura e confiável que não precisasse ser controlada por uma instituição financeira.

As redes podem ser tanto descentralizadas quanto centralizadas. Uma blockchain descentralizada, como a do Bitcoin, é uma rede de blocos P2P (peer to peer ou ponta a ponta), onde cada usuário tem o software em seu computador e se conecta aos outros pontos da rede nos computadores de outros participantes, tornando-a totalmente distribuída. Essa característica faz com que a rede não tenha um ponto central ou um servidor. Por causa disso, ela precisa ser inteiramente armazenada nos hardwares conectados.

Uma vez que cada membro da rede possui uma cópia da mesma em seu dispositivo, seu corrompimento passa a ser praticamente impossível. Para que isso aconteça, seria necessário corrompe-la de forma igual nos computadores de todos os usuários antes do processo de validação.

Cada novo bloco inserido na rede conta com uma série de informações sobre transações de Bitcoin. Para ser validado, ele deve ser aprovado por diversas pessoas que checam as informações e atestam a integridade do novo bloco. Após uma sequência de aprovações, ele passa a fazer parte da blockchain.

Uma blockchain centralizada, normalmente privada, funciona de forma semelhante. No entanto, as regras para a adição e validação de novos blocos são diferentes. Existe um ponto de controle por trás de toda blockchain privatizada. Este é responsável por fazer as validações e garantir a integridade da mesma. Porém, devido a concentração de informações em apenas um lugar, a rede fica mais vulnerável a ataques que podem comprometer sua segurança.

A grande vantagem da tecnologia é não necessitar de um intermediário para gerar confiança durante as transações, já que todas são validadas e incorruptíveis. Assim como em um livro contábil, uma vez que a transação é escrita na rede, ela jamais poderá ser apagada e será sempre efetivada. Além disso, por se tratar de uma comunicação direta entre os usuários e a blockchain sem a necessidade de terceiros, o custo das transações tende a ser baixo. As taxas são baseadas pelo fluxo da rede. Logo, se o fluxo aumenta, as taxas acompanham o seu crescimento.

As blockchains públicas também são 100% transparentes e qualquer usuário pode acessar um endereço da rede para ver as transações realizadas. A privacidade da rede é um fator importante, uma vez que as transações acontecem entre um endereço eletrônico e outro, e seus donos não precisam se conhecer.

Atualmente, a tecnologia é amplamente utilizada para transações de criptomoedas diversas por causa de sua segurança e integridade. Mas também é possível observar a sua implementação para outros fins, tais como: registro de documentações, redes de distribuição de mercadorias, IoT (sigla em inglês para o termo Internet das Coisas), redes de hospitais, distribuição de energia, etc.