COMO FUNCIONA O PLANO FINANCEIRO?

COMO FUNCIONA O PLANO FINANCEIRO?

Saber elaborar e executar um bom planejamento financeiro é primordial para qualquer empresa. Ele é respaldado pelas demais partes que constituem o plano de negócios, uma vez que suas visões possibilitarão a realização de previsões, projeções, análises e definições dos principais indicadores financeiros. Conheça mais sobre esse tipo de estratégia abaixo:

1. Projeções de Cenários

“Cenário é o conjunto formado pela descrição coerente de uma situação futura e pelo encaminhamento dos acontecimentos que permitem passar da situação de origem à situação futura.” (GODET apud MARCIAL e GRUMBACH, 2007)

Segundo Marcial e Grumbach (2007, p.43), existem três tipos possíveis de cenários:

  • Cenários possíveis: todos que a mente humana puder imaginar;
  • Cenários realizáveis: todos passíveis de ocorrer;
  • Cenários desejáveis: encontram-se nos possíveis, porém nem todos são realizáveis.

Segundo Ávila (2015), utilizar mais de um cenário para analisar as projeções financeiras é fundamental devido ao dinamismo da economia globalizada. Muitas variáveis que são consideradas nessa análise podem oscilar para mais ou menos. Portanto, ter mais de um cenário é fundamental para garantir uma previsão mais precisa.

Os cenários propostos são: pessimista, realista e otimista. De acordo com a classificação de Ávila (2015), pode-se considerá-los da seguinte forma:

  • Otimista: é considerada uma análise particularmente boa;
  • Realista: é considerada uma previsão intermediária e mais próxima da realidade, ou seja, com maior probabilidade de ocorrência;
  • Pessimista: é considerada uma análise que poderá gerar impactos negativos na análise econômica do negócio.

A grande variação que esses cenários provocarão será nos índices financeiros utilizados para a demonstração de resultados. Os principais indicadores utilizados são: VPL, TIR e pay-back.

2. Método do Valor Presente Líquido

Tem como finalidade medir o valor presente dos fluxos de caixa gerados pelo empreendimento ao longo da sua vida útil. “O objetivo do VPL é encontrar projetos ou alternativas de investimento que valham mais para os patrocinadores do que custam – projetos que tenham VPL positivo.” (SAMANEZ, 2002, p. 255)

A fórmula utilizada para obter o VPL será:

 

FCt representa o fluxo de caixa no t-ésimo período, I é o investimento inicial e K é o custo do capital. O símbolo ? (somatório) indica que deve ser realizada a soma da data 1 até a data “n” dos fluxos de caixa descontados no período inicial.

Samanez (2002, p.255) indica que a regra decisória adotada será: se o VPL for maior que zero, o empreendimento será considerado economicamente viável.

3. Método do pay-back descontado

Esse indicador é utilizado quando se deseja saber o tempo de recuperação de um investimento, ou seja, saber em quantos anos o valor presente dos fluxos de caixa previstos será igualado com o montante de investimento inicial. Ele é um método complementar ao VPL.

A fórmula usada para a obtenção do pay-back, que segue o mesmo princípio da equação anterior, será:


De acordo com Samanez (2002, p.256), para avaliar o pay-back e utilizá-lo como critério de decisão, é importante verificar o seguinte: quanto menor for o tempo para o retorno do investimento inicial, melhor.

4. Método da Taxa Interna de Retorno (TIR)

O TIR não tem por objetivo a análise da rentabilidade absoluta a um determinado custo de capital, como o VPL. Ele será uma taxa intrínseca ao rendimento e será como uma tarifa hipotética de desconto (i*) que anulará o VPL, como é possível observar no gráfico abaixo: 

 

 Fonte: (SAMANEZ, 2002, p. 258)

A fórmula para descobrir o valor da TIR será:

 

Segundo Samanez (2002, p.258) o critério de decisão utilizado para o TIR será de que, se i* > K, a empreitada será economicamente viável. Portanto, será válido empreender o projeto de investimento financeiro se a TIR exceder o custo de oportunidade do capital. 


Referências:

ÁVILA, R. Luz Consultoria. Blog Luz, 2015. Disponível em: <https://blog.luz.vc/como-fazer/como-fazer-analise-de-cenarios-em-um-estudo-de-viabilidade-economica/>.

MARCIAL, E. C.; GRUMBACH, R. J. D. S. Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

SAMANEZ, C. P. Matemática Financeira: aplicações à análise de investimento. 3ª. ed. São Paulo: Prentice, 2002.